17 de jan de 2013

A tecnologia chegou à sala de aula



A tecnologia chegou à sala de aula



   A sala de aula já não é mais a mesma! Onde havia cadeiras e quadro negro, alunos e professor, hoje um novo integrante começa a ocupar um espaço considerável dentro e fora da sala de aula: a internet.

   Se tivermos o cuidado e a visão necessária para enxergar alguns anos a frente a situação ficará mais evidente ainda onde alunos equipados com modernos equipamentos ligados a internet estarão fazendo um passeio virtual pelas pirâmides egípcias enquanto o professor dá aula de história, ou consultando um verbete na Wikipédia com o significado de uma palavra estranha que o professor acabou de mencionar.

   Mas isto será bom ou ruim? Seria esse um pensamento muito futurista ou não?

Atualmente há uma desigualdade enorme no uso da tecnologia na educação, pois enquanto algumas escolas mais privilegiadas já investem bastante neste campo, outras, especialmente as públicas ainda sofre com problemas mais antigos e menos tecnológicos, como falta de professores, baixa remuneração, violência dentro e fora da escola, entre outras coisas bem conhecidas dos profissionais da educação.

   A grande pergunta que fica é se saberemos lidar com tudo isso e esta tendo sido o tema de muitos assuntos que venho escrevendo em uma série de artigos de educação em meu blog. Afinal, a tecnologia na educação é composta por vários fatores que vão muito além de hardware e software, isto é, para ser útil na educação, professores e escola como um todo precisa planejar e regular uso da tecnologia para o proveito no processo ensino aprendizagem, caso contrário, corre-se o risco de transformar a escola em uma grande lan-house.

   É verdade que é preciso ponderar as palavras e não generalizar, mas o impacto que a internet já causou e ainda causará na sociedade e consequentemente na educação não pode ser tomada com indiferença. Temos de considerar também que na tecnologia as coisas acontecem em uma velocidade muito acima que os avanços que a educação viu até hoje. Então, não se pode brincar com isso.

   Para concluir penso que há professores que estão ansiosos para transformar todo esse potencial da internet em uma ferramenta altamente eficaz no desenvolvimento do aluno, mas é possível que existam outros que prefiram que as coisas continuem como se a tecnologia não existisse. Esse é outro desafio, mas é assunto para outra hora.


Luis Ribeiro é professor na educação técnica e editor do blog: www.luis.blog.br



Os links citados no artigo devem apontar para os seguintes endereços:


hardware e software : http://www.luis.blog.br/dicas-de-hardware-e-software.aspx